Grupo teve a oportunidade de testar e avaliar itens pré-selecionados pelo Comitê Organizador

Estrelas dos Jogos, os atletas também são protagonistas nos bastidores do maior evento esportivo do planeta. Enquanto a Vila Olímpica e Paralímpica toma forma, na Barra da Tijuca, o processo de seleção e compra dos móveis dos apartamentos está na fase final. E nada melhor do que os próprios atletas para ajudar nessa escolha. Afinal de contas, a Vila será a casa deles durante as competições e precisa atender a todos – dos gigantes do basquetebol aos atletas mais fortes do mundo do levantamento de peso.

Para isso, o Comitê Rio 2016 organizou um encontro com um grupo de atletas, que pôde testar e avaliar as opções de camas, cadeiras, mesas de cabeceira e armários oferecidas por fornecedores pré-selecionados, que atendiam às especificações técnicas determinadas pelo Comitê Organizador.

“Os Jogos são para os atletas e ninguém melhor do que eles para nos indicar as melhores opções, afinal, nossa prioridade é atender à necessidade deles. O retorno que tivemos neste primeiro encontro foi ótimo. Eles nos chamaram a atenção para pequenos detalhes que fazem toda a diferença na nossa opção. As avalições técnicas que recebemos deles darão suporte à nossa decisão”, conta Luiz Gustavo de Almeida, responsável pela equipe do Comitê que seleciona os móveis.

Características específicas como altura das camas, formato dos puxadores das portas dos armários e o conforto oferecido pela mobília foram alguns dos itens observados pelo grupo de atletas. O judoca Ruan Isquierdo, de 20 anos, medalhista de bronze no Aberto Pan-Americano de El Salvador, na categoria acima de 100 kg, ficou satisfeito ao saber que as camas terão 2,17m de comprimento.

“Ter conforto para descansar é uma das coisas mais importantes para os atletas durante uma competição. Procurei analisar toda a mobília do ponto de vista dos atletas mais altos e mais pesados e gostei bastante de todos os itens. É muito bom poder participar de alguma forma da organização dos Jogos, dando a nossa opinião para que tudo corra bem. Olhando para as camas, armários e cadeiras, já deu para me imaginar na Vila Olímpica e foi muito bom”, diz o atleta, terceiro colocado no Campeonato Mundial Sub-21 de 2013.

Além de Ruan, estavam presentes o jogador Paulinho Villas Bôas, representante do Brasil em duas edições Olímpicas no basquetebol, a nadadora Flavia Nadalutti, que disputou os Jogos Montreal 1976, e Ricardo Prado, medalhista Olímpico da natação e presidente do Conselho de Esportes Rio 2016.

“A função do Conselho de Esportes é justamente essa: contribuir com a organização dos Jogos utilizando toda a experiência dos atletas. Já viajamos para diversos lugares do mundo carregando nosso equipamento de competição e sabemos o que é importante e que detalhes fazem a diferença. É muito bom que possamos dar nossa opinião neste estágio do processo, a tempo de sugerir ajustes e melhorias”, destaca Ricardo Prado.

Os atletas serão convidados para mais duas rodadas de avaliações, de diferentes itens, até o fim do primeiro trimestre de 2015, quando será concluído o processo de compra da mobília para a Vila Olímpica e Paralímpica. Ao todo, serão adquiridas 135.000 cadeiras, 46.000 mesas e 32.000 armários, além de 30.000 camas e mesas de cabeceira.

Com conclusão prevista para o primeiro semestre de 2016, a Vila será formada por 31 prédios, que serão divididos em sete condomínios, com o total de 3.604 apartamentos e 10.160 quartos. Durante os Jogos, a construção, que ocupa 475.000 m² de área, terá capacidade para receber mais de 18 mil hóspedes.

Fonte: Rio 2016